MEU PRIMEIRO CONTATO COM O TAROT

Há quase três anos encontrei o Tarot, na verdade, posso dizer que ele me encontrou. Para quem não sabe, hoje, minha principal atuação com terapias holísticas é realizando leituras com o Tarot do Osho. E hoje decidi vir aqui contar pra vocês como foi esse primeiro contato com esse universo das cartas!


Era começo de 2017 e eu tinha pedido demissão da agência de publicidade que eu trabalhava. Pouco tempo depois comecei a trabalhar em uma startup e me envolvi num relacionamento abusivo. Muitos questionamentos e o sentimento de não pertencer à nada; Eu fazia um curso na faculdade que já estava acabando, mas ao mesmo tempo, eu queria desistir por não me encontrar nele. Eu tinha trocado de trabalho, da agência para a startup, mas ao mesmo tempo continuava me sentindo infeliz. Eu não me valorizava o suficiente e me envolvia a cada dia mais num relacionamento tóxico.


Parece livro de autoajuda, mas foi no meio de tantos questionamentos, medos e angústias que o Tarot surgiu para que eu me encontrasse.


Desde adolescente eu amo ler, e nessa fase turbulenta saí procurando livros na prateleira da minha mãe. Encontrei o Tarot do Osho que me atraiu no primeiro momento. Perguntei pra minha mãe se podia pegar e ela disse: “pode sim, eu nem uso… comprei quando você era pequena”. Abri o Tarot e vi que ele havia sido publicado um ano antes de eu nascer. Tudo começou a ficar muito curioso pra mim.


Antes de encontrar o Tarot do Osho, eu ja tinha conhecido o Baralho Cigano e o Tarot Mitológico em duas ciganas que fui atendida. Mas na época me falaram algumas coisas que me assustaram, talvez eu não interpretei bem, ou as profissionais não utilizaram bem as palavras. E me gerou muito receio desse tipo de conexão com o místico. Eu tinha medo de saber sobre morte, gravidez, doenças. Porque quando fui atendida, não souberam me falar a respeito desses assuntos.


E com o Tarot do Osho fiz a minha própria conexão de maneira diferente. Fui lendo as cartas e percebi como a interpretações delas são um contexto do dia a dia, trazem muitos sentimentos que não conseguimos explicar. O que me instigou mais foi a autorresponsabilidade que elas trazem, apontando sim o que está acontecendo, mas também dando possibilidades pra sair daquela situação.


Com alguns meses de conexão, decidi divulgar no instagram que eu estava lendo Tarot. Na época o Amar e Florescer já existia, mas ele não me trazia nenhuma renda. Eu postava apenas meu dia a dia com comidas, textos, livros e viagens e descobertas do universo da espiritualidade. Nesse momento que divulguei o Tarot, fui demitida na startup que estava trabalhando. Sinais, né?

Lancei nos stories e o pessoal começou a me mandar direct pedindo pelas cartas. Ao passo que eu me conectava, tirava as cartas, algumas mensagens me vinham para dizer para as pessoas. E eu não entendia de onde nem o porquê.


Muitas delas eu tinha medo de enviar e me chamarem de “louca” ou de “charlatona”. Até que o pessoal começou a responder: “nossa era tudo o que eu precisava ouvir” “é exatamente isso que está acontecendo” “não tinha me dado conta, mas agora entendi o que ta acontecendo”. E isso foi me trazendo algumas respostas internas, fui entendendo que eu estava sendo utilizada como canal pra auxiliar as pessoas. E o mais importante: entendi que o Tarot estava sendo uma porta de acesso pra minha intuição. E agradeço muito todas as pessoas que confiaram em mim logo no início. Logo no começo que eu nem sabia os caminhos que estavam se abrindo.


Nesse mesmo tempo, encontrei os Cristais e comecei a estudar eles. Também comecei a ler mais sobre Cromoterapia, que desde os 16 anos eu já tinha contato no centro espírita.


E a cada dia que passava, mais pessoas chegavam no direct e pediam as cartas. Foram quatro meses assim, lendo carta gratuitamente pelo Instagram.


Até o momento que senti uma energia esquisita em casa e fiquei com medo. E foi nesse dia que eu entendi que precisava me proteger mais. Um incenso não era o suficiente. Eu não tinha uma dimensão de tudo o que estava sendo aberto. Eu não entendia o quanto da minha energia era doada para aquelas pessoas. E foi assim que precisei de um tempo.


Nesse tempo de pausa eu trabalhei com artesanato e com acessórios de pedras e cristais. Também busquei auxílio no centro espírita e meus pais conversaram bastante comigo. Fiz o curso de Magnified Healing que trouxe muita cura e conexão com os meus guias e mentores. E aí comecei a entender que eles estavam comigo nesse trabalho.


Com maturidade, confiança e melhor discernimento, em Fevereiro de 2018 comecei a cobrar pelos atendimentos. O primeiro valor foi R$17 por atendimento. E nesse momento vieram muitas pessoas perguntar o porquê era cobrado. Algumas disseram que eu estava me aproveitando disso pra ganhar dinheiro. Foi um período desafiador.


Nisso, fui fazendo diversos cursos, workshops. Assistindo palestras. Conhecendo novas pessoas. Passando em terapias. Tudo isso me serviu de base para fazer o que faço hoje. E em 2018 me assumi como terapeuta holística e continuei investindo nessa carreira que me abre portas todos os dias.


Hoje eu quero te passar um ensinamento: quando você sentir o chamado para algo, comece. O começo é desafiador, você vai se questionar, pessoas vão te julgar, mas depois tudo vai fazer sentido. Quando algo tá nos nossos caminhos, tudo se abre para que aquilo flua cada dia mais.


Hoje também quero que você entenda que nada é do dia pra noite, nenhum conhecimento nasce de repente. Tudo vai se transformando e criando novas formas.


Hoje eu desejo que você abra portas para o novo chegar em sua vida, daqui dois, três anos você vai agradecer por isso.


E AH! Quero deixar claro que em nenhum momento em larguei tudo para viver disso. As coisas simplesmente foram acontecendo. Eu, como terapeuta e profissional liberal, não aconselho ninguém a pedir demissão de um dia pra noite sem ter BASES para construir algo novo. Por isso: faça cursos, tenha vivências, conheça pessoas para ir abrindo sua mente e o universo ter a chance de te mostrar o que já está no seu caminho.


Em breve volto aqui com mais histórias da vida real.

© 2019 Por Amar e Florescer.